O Vereador Orivaldo Aparecido Magalhães (PSDB), na Sessão Ordinária desta semana, relatou o caso de um aluno autista com grau severo que está passando por dificuldades durante o transporte escolar. De acordo com Magalhães, o aluno é o primeiro a ser pego pelo transporte e permanece no veículo durante todo o itinerário, de quase duas horas. Esse tempo na companhia de crianças não-autistas, pelas diferenças de comportamento, leva o aluno autista ao desespero, colocando sua saúde em risco, diz Magalhães.

O vereador apresentou o Requerimento nº 45/2023 (aprovado por seus pares), solicitando informações e providências sobre o caso, alertando para o descumprimento de leis federais relacionadas ao atendimento prioritário para autistas e pessoas com deficiência no transporte escolar. “Existe um laudo médico dizendo que essa criança ou tem que ter um transporte prioritário para ela, ou ela tem que ser a última criança a ser pega e a primeira a ser entregue. Ela não pode ficar circulando todo o itinerário junto com as demais crianças”, explicou o vereador.

Em sua fala, Magalhães também se dirigiu ao líder de governo, Vereador João Victor Gasparini (União Brasil): “Senhor líder de governo, a mãe da criança já fez o pedido na Secretaria de Transporte e foi negado. A situação é dramática e não é possível que as pessoas da Secretaria de Transporte não tenham a sensibilidade de entender o que essa mãe está passando.”

 

Creche no Parque das Laranjeiras sem rampa de acesso e CEMAAE

O Vereador Marcos Paulo Cegatti (PSD) relatou outro problema, relacionado à inclusão, numa unidade de educação básica no Parque das Laranjeiras. De acordo com Cegatti, as mães das crianças já fizerem pedidos para a construção de uma rampa, para que um aluno que utiliza andador possa sair para o recreio, mas a rampa ainda não foi feita. Cegatti então pediu ao Poder Público para construir esse acesso.

Além disso, o vereador reconheceu o esforço da Administração Pública na contratação de mais professores especiais (36 profissionais) e também fez um apelo para uma maior utilização do CEMAAE (Centro Municipal de Apoio e Atendimento Especializado “Raquel Ramazzini Mariotoni”).

“Temos muitas salas, vamos atrelá-lo à Secretaria de Saúde. Aí eu compro a ideia que o Vereador Magalhães tem sempre falado na pauta do autismo e das crianças com TDAH. Podemos usar o espaço. (...) Vamos criar ideias junto com o Executivo, para que o CEMAAE se torne um centro de referência para o município, quem sabe regional.”



Mais Notícias

16ª Sessão Ordinária: veja projeto de lei aprovado em segundo turno

Ler a notícia

Toneladas de doações, arrecadadas na Câmara, são enviadas para o Rio Grande do Sul

Ler a notícia