No início da 5ª Sessão Ordinária, realizada na segunda-feira (4), a secretária municipal de Educação, Ana Peruchi, compareceu ao plenário para explicar, entre outras questões, a situação dos professores de apoio e monitores da rede municipal de ensino. A presença da secretária foi solicitada pelos vereadores Joelma Franco da Cunha (PTB) e Alexandre Cintra (PSDB), por meio do Requerimento nº 29/2024, aprovado pelos demais parlamentares. 

Inicialmente, Joelma afirmou que a convocação da secretária foi motivada pelo relato de famílias sobre a falta de professores, professores de apoio e monitores na rede municipal. A vereadora, então, questionou a secretária sobre o que a Prefeitura está fazendo para contratar mais profissionais, em especial, aqueles que atendem crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e com deficiência. 

Em sua resposta, Ana Peruchi disse que, para o ano letivo de 2024, a Administração Municipal já fez a atribuição de 54 professores de apoio e de 35 monitores, todos admitidos por concursos. Na rede municipal, esses 89 profissionais irão atender às aproximadamente 200 crianças com alguma necessidade especial, dentre elas, as crianças com TEA.  

Joelma Franco também questionou sobre a questão de transporte escolar e a capacitação aos professores.

Sobre o transporte, a secretária respondeu que a rede municipal atende 1.233 alunos na zola rural, 731 alunos com passe urbano e 169 com subsídio universitário. "A creche, a legislação não contempla. (...) A legislação é clara: a educação básica começa aos quatro anos de idade e vai até os 17 anos. A creche, nunca um município transportou," disse Peruchi.

Sobre a capacitação, Peruchi afirmou que a Prefeitura fez um convênio com o Senac para um curso de capacitação de 16 horas para os professores, para atendimento de crianças com TEA. 

O vereador Alexandre Cintra, por sua vez, questionou a secretária sobre a falta de professores de disciplinas específicas (por exemplo, artes e educação física) e de professores de apoio nas salas de aula, assim como, sobre a falta de funcionários na equipe da merenda. Cintra também perguntou sobre o fechamento da EMEB Professor Mario Antônio Torezan.

De acordo com Ana Peruchi, a EMEB precisou ser fechada devido à preocupação com as capivaras e a febre maculosa. Conforme a secretária explicou, os pais foram chamados para um reunião e aceitaram a proposta de transferir as crianças para a EMEB Dona Sinhazinha. 

Sobre as equipes da merenda, Peruchi disse que, no início da atual gestão, havia 101 merendeiras na rede municipal. No entanto, ao longo dos últimos anos, por variados motivos, a rede perdeu 30 delas, disse a secretária, acrescentando que a Prefeitura autorizou recentemente a reposição dessas funcionárias.  

Com relação à falta de professores de disciplinas específicas, a secretária afirmou que candidatos aprovados no último concurso foram chamados na semana passada.

Outros vereadores também questionaram a secretária. Confira as questões e as respectivas respostas na gravação da sessão, neste link.     

 



Mais Notícias

NOTA DE PESAR: Câmara Municipal lamenta o falecimento do Dr. Raji Rezek Ajub, Presidente do Hospital 22 de Outubro

Ler a notícia

Veja as proposituras aprovadas e as propostas rejeitadas na 15ª Sessão Ordinária

Ler a notícia