Na terça-feira (28/09), uma Audiência Pública ocorrida no plenário da Câmara Municipal reuniu vereadores, representantes do Poder Executivo Municipal e comerciantes para discutir a mudança no trânsito da Rua Padre Roque, implementada em dezembro de 2021, no trecho a partir do cruzamento com a Rua 13 de Maio até a rotatória de acesso à Rodovia SP-147.

A audiência contou com a presença dos vereadores Tiago Cesar Costa (MDB), Mara Cristina Choquetta (PSB), Joelma Franco da Cunha (PTB) e Marcos Antônio Franco (PSDB); de Alan Rodrigo Alves, Secretário de Mobilidade Urbana, Paulo Roberto Tristão, Secretário de Obras; de José Antonio Scomparim, presidente da Sincomercio (Sindicato de Comércio Varejista de Bens, Serviços e Turismo de Mogi Mirim), e José Luis Ferreira, presidente da ACIMM (Associação Comercial e Industrial de Mogi Mirim), entre outros. Todos agradeceram a iniciativa do Vereador Tiago Costa e enalteceram a Audiência Pública como espaço de debate – no caso, a situação do trecho da Rua Padre Roque como mão dupla.

 

Para o Vereador Tiago Cesar Costa e a maioria dos comerciantes presentes a mudança gerou mais prejuízos do que benefícios. Por exemplo: aumento do número de acidentes, menos espaços apropriados para carga e descarga de caminhões e um aumento do fluxo de veículos que não se refletiu em potencial de vendas.

O vereador e os representantes do comércio também lembraram que a mudança na Padre Roque ocasionou uma diminuição no trânsito da Avenida da Saúde, prejudicando as vendas nessa última via. Além disso, eles apresentaram duas pesquisas realizadas informalmente com os comerciantes da região: na pesquisa da Sincomércio, aproxidamente 60% ficaram insatisfeitos com a mudança; já a pesquisa da ACIMM mostrou um resultado mais equilibrado entre satisfeitos e insatisfeitos.


 

Prefeitura

Os representantes do Poder Executivo Municipal presentes argumentaram que melhorias poderiam ser feitas para reverter os problemas apresentados e que a mudança no trânsito da via é relativamente recente. Assim como apontaram que, apesar de a primeira pesquisa mostrar vantagem numérica para os insatisfeitos, a segunda apresentava um equilíbrio. No entanto, eles afirmaram que a Prefeitura está aberta ao diálogo com a população sobre a questão.

 


Abaixo-assinado

No final da Audiência Pública, os representantes do Poder Executivo receberam um abaixo-assinado que, de acordo com o Vereador Tiago Costa, contava com cerca de mil assinaturas pedindo a volta da mão única no mencionado trecho da Rua Padre Roque.



 


 


 

 



Mais Notícias

Projeto de Lei sobre Serviço de Inspeção Municipal Sanitária e Industrial de Produtos de Origem Animal é aprovado

Ler a notícia

Orçamento de 2023 será votado, em segundo turno, na sessão ordinária desta segunda (28)

Ler a notícia